• Cabeçalho

Artigo: Projeto de Prevenção e Controlo de Infeção e Resistência aos Antibióticos

Projeto de Prevenção e Controlo de Infeção e Resistência aos Antibióticos

A prevenção e controlo das infeções hospitalares, ou nosocomiais, foi evoluindo ao longo dos anos, evidenciando-se como um fenómeno que não se restringe apenas ao meio hospitalar, mas também a todas as unidades de saúde de cuidados continuados, cuidados de saúde primários e instituições privadas.

Atualmente, as infeções nosocomiais (IN) têm sido denominadas por infeções associadas aos cuidados de saúde (IACS), um termo mais abrangente uma vez que o desenvolvimento de infeções não se restringe apenas às unidades hospitalares. No Plano Nacional de Controlo de Infeção (PNCI), a IACS é definida como uma infeção adquirida pelos doentes em consequência dos cuidados e procedimentos de saúde prestados e que pode também afetar os profissionais de saúde durante o exercício da sua atividade. (DGS, 2007)

Para se prevenir a transmissão cruzada de microrganismos, de um portador são ou doente, para outro, de forma direta ou indireta, torna-se importante recorrer às “boas práticas”, implementando em cada ato as medidas de Precauções Básicas de Controlo de Infeção, que são da responsabilidade de todos os intervenientes nos cuidados de saúde (doentes/profissionais/visitantes).

Face à problemática presente e no âmbito de uma proposta da Direção Geral de Saúde surgiu a oportunidade de implementar, desde 2017, o projeto de Prevenção e Controlo de Infeção e Resistência aos Antibióticos, na unidade de média duração e reabilitação – unidade de cuidados continuados integrada na Casa de Saúde de Santa Rosa de Lima. Esta unidade apresenta uma grande rotatividade de doentes provenientes na sua maioria de instituições hospitalares e com historial de infeções associados aos cuidados de saúde.

Este projeto tem como principal foco a segurança dos doentes e dos profissionais de saúde ao longo dos tempos, de forma a desenvolver uma estratégia multimodal para promoção das precauções básicas do controlo de infeção, tendo como componente essencial a higienização das mãos e o uso adequado de luvas.

Enf.ª Raquel Passos

Unidade Bento Menni

 

 

Bibliografia:

DGS, PPCIRA Estratégia Multimodal de Promoção das PBCI disponível em  https://www.dgs.pt/programa-de-prevencao-e-controlo-de-infecoes-e-de-resistencia-aos-antimicrobianos/estrategia-multimodal-pbci.aspx

DGSA, PPCIRA, Relatório de auditoria às Precauções Básicas de Controlo de infeção e Monitorização da higiene das mãos – análise evolutiva: 2014 – 2015disponível em https://www.dgs.pt/estatisticas-de-saude/estatisticas-de-saude/publicacoes/portugal-controlo-da-infecao-e-resistencia-aos-antimicrobianos-em-numeros-2015-pdf.aspx

DGS, PPCIRA Manuais de boas práticas de Prevenção de Infecções Adquiridas no Hospital - Um Guia Prático disponível em https://www.dgs.pt/programa-nacional-de-controlo-da-infeccao/documentos/manuais-de-boas-praticas/prevencao-de-infeccoes-adquiridas-no-hospital-um-guia-pratico.aspx

DGS, PPCIRA Estudo Nacional de Prevalência de Infeção nos Cuidados Continuados 2012 disponível em https://www.dgs.pt/programa-nacional-de-controlo-da-infeccao/relatorios/estudo-nacional-de-prevalencia-de-infecao-nos-cuidados-continuados-2012.aspx

 



© Copyright 2020, Irmãs Hospitaleiras. Todos os direitos reservados.